Fátima Chinita

Endereço eletrónico | chinita.estc@gmail.com

Nasceu nas Caldas da Rainha (Portugal) e mora em Lisboa.

Docente na ESTC desde 1995, onde atualmente é Professora Adjunta. Dá regularmente aulas à Licenciatura em Cinema (áreas de Produção e Estudos Fílmicos) e ao Mestrado em Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico (área de Narrativas Cinematográficas).

Doutorada em Estudos Artísticos pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (variante de Cinema e Audiovisuais) com uma tese sobre metacinema, área em que é especialista em Portugal (título: “Do metacinema Auto-reflexivo como Forma de Enunciação Autoral”); mestre em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (variante de Cultura); bacharel em Cinema pela Escola Superior de Teatro e Cinema (área de Montagem) e licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (variante de Estudos Portugueses e Ingleses) pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Efetua, no triénio de 2016/2017-2018/2019, como bolseira de investigação da FCT, um pós-doutoramento misto entre os Centros de Estudo Labcom.IFP (da UBI, Portugal) e IMS - Forum for Intermedial and Multimodal Studies (da Linnéuniversitetet, Suécia) na área da Intermedialidade e interface com o Cinema e outras artes, em cujo âmbito prepara a publicação de dois livros em inglês.Título do Projeto global: “A arte das artes: a alegoria da criação no cinema de autor enquanto projeto discursivo e sinestésico intermedial”.

Antiga bolseira da FCT ao abrigo do Programa PROTEC para a formação avançada dos docentes do Ensino Superior Politécnico, desde 2013 que desempenha funções de investigadora em Cinema de forma mais regular. Em Portugal integra dois centros de investigação: o Labcom.IFP, da UBI, Covilhã e o CIAC, da Ualg, Algarve. É membro das seguintes associações internacionais dedicadas ao estudo do cinema: AIM – Associação da Imagem em Movimento (Portugal), onde é cofundadora do grupo de trabalho “Narrativas Audiovisuais”); Association of Adaptation Studies (EUA);  BAFTSS – British Association for Film, Television and Screen Studies (Reino Unido); ECREA – European Communication Research and Education Association (Bélgica); ISIS – International Society for Intermedial Studies (Suécia); NARRNET – European Narratology Network (Alemanha); MECCSA – Media, Communication & Cultural Studies Association (Reino Unido); NECS – European Network for Cinema and Media Studies (membro do grupo de trabalho “Screen Industries”); SCMS - Society for Cinema and Cinema Studies (EUA); SERCIA – Société d'Études et de Recherches sur le Cinéma Anglophone (França); SOCINE - Sociedade Brasileira de Estudos em Cinema e Audiovisuais; SOPCOM – Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação.

É autora do livro O Espectador (In)visível – Reflexividade na Óptica do Espectador em INLAND EMPIREpublicado pela editora Livros LABCOM e acessível online em http://www.livroslabcom.ubi.pt/book/113. Participa regularmente em conferências e tem vários artigos publicados - tanto em periódicos nacionais como estrangeiros - sobre metacinema, autorreflexividade, narrativa, estudos espetatoriais, estudos autorais e intermedialidade. Alguns podem ser consultados em linha, nomeadamente no repositório científico do IPL Lisboa. Vencedora do Prémio Eng. Fernando Gonçalves Lavrador, para a melhor comunicação da Conferência Internacional Avanca Cinema/Tecnologia, Arte, Comunicação 2015, com o artigo e apresentação: “O autor a ver-se a si mesmo ao espelho: as alegorias do enunciador em Jean Cocteau”.   

É sócia fundadora da ATeLP - Associação de Tradução em Língua Portuguesa e tradutora de legendas registada na D.G.E.A.T. Trabalhou durante quase uma década como tradutora de filmes, em regime de freelancer, para as distribuidoras Lusomundo Audiovisuais, Columbia Tristar Warner Filmes de Portugal, Vitória Filme/Prisvídeo, L.N.K. Vídeo e Filmes Castello Lopes. Traduziu igualmente artigos e livros, nomeadamente o romance Vasco de Gama, l’orgueil et la blessure, de René Virgile Duhac, publicado pela Editorial Gradiva (1996).

Em tempos mais recuados foi docente de Inglês no ensino secundário e trabalhou em cinema, televisão e publicidade - entre 1992 e 1997 (em funções de produção e assistência de realização).

 

Partilhar