Mensagem do Diretor do Departamento de Cinema

Febrile | Curta-metragem dos alunos da Licenciatura em Cinema | 2014

No início de janeiro de 1973, como concretização da reforma operada no Conservatório Nacional, de que resultou a inclusão de novas práticas artísticas no ensino formal, o cinema ganha o direito a ter um curso oficial.

Remontando à sua fundação, sob a denominação de Escola Piloto para a Formação de Profissionais de Cinema, é de relevar a marca identificadora que, ao mesmo tempo, define os objetivos do projeto, isto é: instituir, em ambiente marcadamente artístico, uma escola que visa oferecer uma formação de caráter profissional.

Depois do 25 de Abril, muitas foram as modificações introduzidas no curso e na organização da Escola de Cinema, como então passa a ser correntemente designada, até se chegar ao desenho curricular em que as diferentes especialidades se tornam cada vez mais específicas e o seu ensino mais aprofundado.

A adequação ao modelo de Bolonha, entretanto realizada, confirma essa orientação.

O Departamento de Cinema da ESTC é, desde meados dos anos 80, o herdeiro dessa escola que contou entre os seus fundadores e primeiros professores com realizadores e outros profissionais vindos do Novo Cinema português. Na renovação do seu corpo docente, incluiu muitos dos que nela se formaram no post-25 de Abril e que, pertencendo a sucessivas gerações de realizadores, produtores, argumentistas, ou trabalhando na imagem, no som ou na montagem, juntamente com outros que permanecem na atividade profissional, participam da aventura de fazer o cinema português de hoje.

Na sequência da instalação da ESTC na Amadora, o curso de Cinema, ministrado no Departamento de Cinema, passa a ser um curso bietápico de licenciatura, organizado em dois ciclos, conduzindo o primeiro ao grau de bacharel e o segundo ao grau de licenciado (Plano de estudos aprovado pela Portaria 1005/2000, de 18 de outubro, alterada pela Portaria 279/2005 de 17 de março). No quadro do ensino politécnico, com esse curso de Cinema, reafirma-se a natureza de escola de criação artística, que alia duas vertentes de formação: uma ao nível do bacharelato, capaz de habilitar os alunos para o exercício de funções de execução técnica e artística de objetos cinematográficos e audiovisuais; outra, ao nível da licenciatura, intervindo de forma articulada no campo da autoria e da direção artística de projetos.

A partir do ano letivo 2007/2008, o curso funciona com uma organização curricular decorrente da adequação ao modelo de Bolonha. Identificadas que foram “constâncias” suficientemente sólidas e testadas para as eleger como boas práticas, o Plano de estudos (Despacho 14835-CP/2007, de 9 de julho) elege as 6 áreas chave consagradas pela indústria cinematográfica e que as escolas congéneres de referência adotam – Argumento, Produção, Realização, Imagem, Montagem, Som – como estruturantes das variantes de formação oferecidas; em termos de desenho curricular aparecem organizadas em dois triângulos: o primeiro, focalizado no design do projeto, em cujos vértices estão o Argumento, a Produção e a Realização, visa o desenvolvimento das capacidades de conceção, planeamento e direção criativa de um projeto; o segundo, de natureza mais performativa, cujos vértices são ocupados pela Imagem, Montagem e Som, assenta no desenvolvimento de competências técnicas e artísticas, aplicadas na execução de projetos cinematográficos, nas suas diferentes fases de produção.

O quadro de formações oferecidas pelo Departamento de Cinema da ESTC ganha, a partir do ano letivo 2009/2010, uma nova dimensão com a entrada em funcionamento (de acordo com o Despacho 3869/2009, publicado no Diário da República n.º 21, 2.ª série, de 30 de janeiro), do mestrado em Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico que, integrando na sua estrutura curricular as especializações de Narrativas Cinematográficas, Dramaturgia e Realização, e Tecnologias de Pós-Produção, tem a duração de dois anos letivos, organizados em quatro semestres, com a valência internacional de 120 créditos ECTS.

José Bogalheiro
Diretor do Departamento de Cinema

Partilhar