Luís Fonseca

Endereço eletrónico | luis.mig.fonseca@gmail.com

Trabalhou como assistente de realização e anotador em diversos filmes desde 1990.

Em 1993 foi co-fundador da Contracosta Produções com Francisco Villa-Lobos. Colaborou em várias ocasiões com a encenadora Mónica Calle, na companhia Casa Conveniente, em diferentes funções desde a produção à dramaturgia. Também colaborou diversas vezes com o encenador Álvaro Correia, na Comuna-Teatro de Pesquisa, tanto através da tradução como da escrita de textos originais.

Traduziu peças de Stephen Berkoff, Caryl Churchill, Sam Shepard, Harold Pinter, David Mamet, Edward Albee e Samuel Beckett.

Em 1998 escreveu a peça "O Vôo Das Borboletas", encenada por Álvaro Correia na Comuna Teatro de Pesquisa. Em 1999 escreveu a peça "Os Dias Que Nos Dão", encenada por Mónica Calle na Casa Conveniente. Em 2000 escreveu a peça "O Vento Que Vem", para a Comuna - Teatro de Pesquisa, encenada por Álvaro Correia. Em 2001 traduziu o texto "A Floresta" de David Mamet, o qual encenou na Casa Conveniente. Em 2005 escreveu a peça “Alguns Lugares”, encenada por Álvaro Correia na Casa Conveniente.

Traduziu, em 2006, as peças “Brasas”, “Esboço Radiofónico I e II”, “Palavras e Música”, “Cascando”, de Samuel Beckett, encenadas por João Lagarto. Traduziu também nesse ano a peça “Aquele Que Vem Fazer o Luto” de Wallace Shawn, encenada por Álvaro Correia na Comuna – Teatro de Pesquisa.

Em 2002 a editora Campo das Letras publicou a sua peça "O Vento que Vem", no volume Cinco Peças Breves.

Realizou com Francisco Villa-Lobos o documentário “Ouguela” (1994). Realizou adaptações para televisão das peças “No Fotógrafo” de Karl Valentim e “Três Noites sem Dormir”, de Caryl Churchill, exibidas na RTP 2 (1998). Realizou a curta-metragem "Chuva"(1999), que estreou no Festival de Veneza de 1999, na secção Corto Cortissimo. Realizou a longa-metragem "Antes que o tempo mude" (2003), estreada em Novembro de 2003 no Festival Internacional de Cinema Jovem de Turim. Ganhou o prémio Fipresci no Festival Internacional de Cine Independiente de Buenos Aires, e o Prémio Especial do Jurí e o Prémio Revelação no Festival Luso-Brasileiro de Cinema de Santa Maria da Feira.

(Este texto não foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico)

Partilhar