Passar para o conteúdo principal
phd artes

Doutoramento em Artes Performativas e da Imagem em Movimento

Doutoramento em Artes Performativas e da Imagem em Movimento
03_eduardo_segundo_nos

O Doutoramento em Artes (Artes Performativas e da Imagem em Movimento), criado conjuntamente entre a Universidade de Lisboa e o Instituto Politécnico de Lisboa, dirige-se, particularmente, aos mestres nas áreas dos Estudos Artísticos, Humanidades e Ciências Sociais, mas também aos detentores de currículos relevantes nestas áreas ou áreas afins, e para os quais o regulamento prevê um sistema de creditação.

Este ciclo de estudos apresenta uma organização curricular que combina seminários obrigatórios e opcionais, conciliando a vertente teórica e a prática artística, mantendo esta dupla valência ao longo do seu plano de estudos. Visa proporcionar aos estudantes os conhecimentos, as técnicas e a supervisão necessárias para a realização de um trabalho de investigação original e sólido em vários subcampos dos Estudos Artísticos, nomeadamente Teatro, Cinema, Música e Dança, e todas as extensões teóricas destes domínios na área das Humanidades, bem como permitir que a reflexão teórica sobre a arte e o fazer arte se possam integrar harmoniosamente numa mesma investigação.

 

Candidaturas | Favor consultar:

http://www.belasartes.ulisboa.pt/cursos/doutoramentos/doutoramento-em-artes

Questões administrativas e financeiras contacte os serviços académicos da FBAUL.

Vagas | 20

 

BOLSAS


As Bolsas de Doutoramento (BD) destinam-se a candidatos que satisfaçam as condições necessárias ao ingresso em ciclo de estudos conducente à obtenção do grau académico de doutor e que pretendam desenvolver trabalhos de investigação conducente à obtenção desse grau.

Os trabalhos de investigação poderão ser desenvolvidos em qualquer ambiente intensivo em conhecimento, designadamente em colaboração com empresas, podendo a(s) instituição(ões) de acolhimento do bolseiro ser: unidades de I&D; Laboratórios de Estado; Laboratórios Associados; Laboratórios Colaborativos; ou Centros de Interface.

O programa de trabalhos poderá decorrer integralmente ou de forma parcial numa instituição nacional (bolsa no país ou bolsa mista, respetivamente), ou decorrer integralmente numa instituição estrangeira (bolsa no estrangeiro). No caso de bolsa mista, o período do programa de trabalhos que decorra numa instituição estrangeira não pode ser superior a dois anos.

A duração das BD é, em regra, anual, renovável até ao máximo de quatro anos, não podendo ser concedida por um período inferior a três meses consecutivos.

De uma forma geral, podem candidatar-se cidadãos nacionais, cidadãos de outros estados membros da União Europeia, cidadãos de estados terceiros que detenham, até à data de início da bolsa, título de residência em Portugal válido ou que sejam beneficiários do estatuto de residente de longa duração, ou cidadãos provenientes de países com os quais Portugal tenha celebrado acordos de reciprocidade.

Às bolsas cujo plano de trabalhos decorra, total ou parcialmente, em instituições estrangeiras, só podem candidatar-se os cidadãos (nacionais ou estrangeiros) que comprovem residir de forma permanente e habitual em Portugal.

As candidaturas devem ser submetidas eletronicamente, caso haja concurso aberto, no formulário disponível, no portal de concursos a bolsas 
 

https://concursos.fct.pt/bolsas

Cada candidato poderá apresentar apenas uma única candidatura.

 

SECRETARIADO ESTC

Rute Fialho | secretariado@estc.ipl.pt

SECRETARIADO IPL

Soraia Lacueva | slacueva@sp.ipl.pt