Passar para o conteúdo principal
mestrado cinema estc
mestrado cinema estc

Mestrado em Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico

Mestrado em Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico

PREENCHA O FORMULÁRIO PARA INSCREVER-SE NOS DIAS ABERTOS (online & presencial) da ESTC PARA O ANO LETIVO 2024/2025.

O que é o Mestrado em Desenvolvimento de projecto Cinematográfico?

O Mestrado em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico (MDPC) assenta em três pressupostos: a ideia de desenvolvimento; a noção de projecto e uma filosofia fílmica específica. Em todos eles prevalece a liberdade máxima de escolha do estudante. A experimentação é incentivada em todos os seminários, havendo inclusive a possibilidade de parcerias entre áreas ao nível do corpo docente para a concretização de certos projectos de carácter transdisciplinar.  

O MDPC caracteriza-se por uma aprendizagem fortemente delineada pelo próprio estudante, numa dinâmica de estruturação e responsabilização pessoal, funcionando como complemento de saberes adquiridos noutra sede. Ou seja, no MDPC cabe ao estudante seleccionar o caminho a trilhar desde o início do curso, escolhendo uma área, uma tipologia de trabalho, e um(a) orientador(a) que o acompanhará em parte da sua jornada de aprendizagem tanto teórica quanto prática.

 

Qual a sua especificidade, que o torna único no panorama nacional?

Por projecto, entende-se no contexto do MDPC, toda a investigação e preparação necessárias à concretização efectiva de um objecto artístico de índole cinematográfica ou afim, o qual, todavia, não é necessariamente executado neste âmbito.

Assim, há uma dimensão “projectista” do MDPC que consiste no favorecimento de obras / trabalhos em curso, independentemente das respectivas etapas concretas. Podem ser:

·    Trabalhos preparados no MDPC e concluídos em definitivo noutro contexto, como por exemplo uma maqueta, ou todo o trabalho de campo e projecto integral de uma curta-metragem a ser realizada posteriormente.

·     Trabalhos registados noutro âmbito e concluídos no MDPC, como por exemplo um trabalho de pós-produção ou a montagem de um filme-ensaio com todos os materiais já adquiridos.

·      Obras que são totalmente efectuadas no MDPC, como seja uma curta-metragem ou um guião, entre muitas outras, embora neste caso não possam ainda ser consideradas as versões finais.

·        Dossiês contendo todos os dados necessários à concretização da obra, a fim de concorrer à obtenção de financiamento externo ou nacional, a parcerias e acordos de distribuição, ou para planeamento de campanhas, entre outros fins.     

  

Qual a filosofia de base e natureza do MDPC?

O projecto cinematográfico que dá título ao MDPC tem por base uma metodologia prática orientada para a investigação criativa essencialmente individual. O curso funciona em regime laboratorial, sendo o pelouro dos objectos fílmicos de carácter mais pessoal, independentemente da sua temática ou natureza, devendo estes ser executados pelo próprio estudante ou por uma equipa por si angariada, dentro da turma ou fora dela. É neste aspecto que o(a) orientador(a) escolhido por si se torna fundamental.

No contexto do MDPC, a orientação dos docentes é uma verdadeira mentoria. Sendo o corpo docente do Mestrado constituído por doutores orientados para a investigação e/ou especialistas de reconhecido mérito com ligação à actividade profissional compete aos estudantes seleccionarem o perfil de mentor que mais se adequa ao tipo de investigação e trabalho que pretendem desenvolver durante o MDPC, bem como criar os laços necessários para a concretização posterior dos projectos que venham a ser efectivados fora da ESTC, mas preparados no seu âmbito.

A Escola Superior de Teatro e Cinema não funciona como produtora dos projectos, não detendo por isso os direitos de autor sobre os mesmos, nem garantindo automaticamente a disponibilização de equipamento técnico. Cf. Regulamento do curso para as excepções. 

 

Percurso dos estudantes e liberdade de escolha

Após um ano propedêutico, comum a toda a turma, no 2º ano do curso cada estudante pode seleccionar uma de três áreas oferecidas pelo MDPC:

·        Narrativas Cinematográficas – versando questões típicas da narrativa em vários tipos de filme, incluindo-se neste parâmetro a escrita de argumento);

·        Dramaturgia e Realização – orientada para a análise de forma e conteúdo fílmicos e sua aplicação através de técnicas características da realização);

·        Tecnologias de Pós-Produção – contemplando técnicas de som, imagem, montagem, marketing e promoção; é o culminar do trabalho criativo em cinema durante o qual se concretização de uma cópia zero ou se efectuam diligências após a obtenção da mesma.

Cada estudante selecciona igualmente a tipologia do seu trabalho a partir do leque de opções disponível:

  • Dissertação – um trabalho teórico, de investigação e reflexão sobre um tema e, dentro dele, um assunto específico que se traduza numa perspectiva original que possa contribuir para o avanço académico no campo específico.

  • Projecto – trabalho prático, que se desenvolve sobretudo no terreno, complementado por um relatório em forma dossiê que analisa as questões de fundo (tema, natureza do trabalho e problemáticas diversas) e fornece os elementos constituintes da investigação efectuada, bem como uma reflexão sobre o seu resultado.

  • Estágio profissionalizante – é um período de trabalho intensivo junto de um prestador de serviços da área audiovisual, que serve de base ao estudante para uma aplicação futura num projecto seu a realizar noutro contexto e é acompanhado por um dossiê de reflexão.    

 

Cada estudante selecciona, por último, um ou dois orientadores (em regime de co-orientação) que acompanham o trajecto final dos alunos rumo à defesa de provas.

 

Quais as saídas profissionais que o MDPC permite?

A entrada no mercado de trabalho para os estudantes do MDPC faz-se sobretudo por uma via mais direccionada para a concretização individual.

·        A aquisição de conhecimentos transversais de âmbito avançado pode conferir acesso a uma carreira de crítico cinematográfico, curador ou programador.

·        O desenvolvimento de projectos de cunho prático pode contribuir para uma carreira autónoma dentro das práticas audiovisuais, como seja o caso do documentário e da instalação.

·        O desenvolvimento de dossiês de projecto garante maior possibilidade de êxito em projectos futuros ou junto de entidades financiadoras e a prossecução posterior de projectos individuais como criativo.

·        A realização de estágios profissionalizantes pode preparar os estudantes para integrarem produtoras ou outros prestadores de serviço.

·        O desenvolvimento de dissertações é condizente com o prosseguimento de uma investigação de 3º ciclo (um doutoramento) e pode conduzir a uma carreira académica.

Todas estas saídas profissionais são, na verdade, possíveis, independentemente do caminho trilhado pelo for estudante.               

 

Para esclarecimento de dúvidas, contacte a coordenadora do Mestrado, Professora Fátima Chinita: fchinita@estc.ipl.pt

Venha estudar connosco!

Documentos